Páginas

em inconstante definição.

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

Estranhão esse Smilinguido no meu blog (sim, a formiga do post abaixo tem nome!), mas me sinto assim de vez em quando... Nadando onde é proibido. Não por inconseqüência (às vezes até é), mas por que acredito em outras coisas, que não são moralmente erradas apenas não muito aceitas socialmente por que preferimos ir com a maré ou não temos coragem de assumir o que realmente somos.
Eu sou alguém incompreendido e raramente me importo com isso.
Eu que escuto o diabinho, que me alegro com a desgraça de quem merece. Que dou conselhos duros a quem amo, por que eles devem ser fortes Eu que tantas vezes fui o diabinho.. Que não ofereço pena ou comiseração, pois acho sempre podemos mais e odeio quem se faz de coitadinho e fica chorando miséria do meu lado. Assim somente damos força aos problemas.
Eu que prefiro a dura e fria verdade a mais terna mentira, que odeio eufemismos e não acredito em nada sem solução.
Eu que acredito em milagres e que as pessoas até merecem uma 3ª ou 4ª chance, mas não comigo, não mais. Que não tenho medo de envelhecer e vejo com prazer a beleza sábia dos olhos de quem já viveu (e aprendeu) muito. Que preciso vigiar e orar, vigiar e vigiar sempre. E não é a os outros que temo, a tentação íntima é sempre a mais forte, meu tirano interior me impele à saber sempre mais,à buscas sem fim... Que me arrasta, como um vento forte emaranha meus cabelos, minhas idéias, dando-me desejos tão intensos que nem devem ser compartilhados.
Não me importo com o que possam falar, esse tempo há muito passou.só preciso crer que faço o melhor a ser feito... Afinal, não é a homens que devo o teor das minhas ações. E continuo buscando os caminhos certos, pois em minha alma moram além do o réu, o juiz e o algoz...

3 comentários:

Leonardo Nakahara disse...

Engraçado é que pensei em perguntar o pq da imagem do Smilingüido. Mas pensei que seria entrar em sua intimidade. E, como bem sabe, odeio entrar na intimidade de quem quer que seja sem que eu seja convidade para tal. Dai pensei que pudesse estar passando por alguma provação, mas também não me atrevi em perguntar. Que bom que esse post explica (mas não explica tudo).

Eu bem sei como é, já que em partes também sofro desse mesmo mal ... ou seria bem? Vai saber ...

Marcelo Moro disse...

gostei
eu tb acredito em milagres e acho que as pessoas depois de mil chances ainda merecem a milésima primeira
tb tenho outros valores que não os padrões , portanto gostei muito desse texto

Anônimo disse...

Obrigado por intiresnuyu iformatsiyu