Páginas

em inconstante definição.

segunda-feira, dezembro 18, 2006

hum...


"I sound my barbaric yawp over the rooftops of the world."
Walt Whitman


(por causa de um reluzente aparelho não é minha boca que aparece aqui escancarada...)

Sim e daí?

A vida é cheia de imensas reflexões e pesados sentimentos quando se chega próximo ao Natal... Desses de deixar qualquer um triste. Descobri, com muito pesar que nunca conseguirei fazer laços decentes em presente algum, tãopouco uma embalagem digna, bonitinha.Não adianta quantas vezes eu treine. Não é questão de experiência e sim de um cérebro incompetente!

Hoje estou péssima. Principalmente agora, nesse instatezinho que escrevo esse mal-traçado post. É meio que raiva misturada com desapontamento. Tudo pela falta de seriedade de algumas pessoas que sabe o diabo pq detêm o poder de decidir coisas importantes para você, para a educação de muitas pessoas, para uma universidade.

Se fosse só isso...E ainda têm pessoas que não respeitam minhas decisões. Pessoas que considero amigas.Nem espero que entendam, mas respeitem. É pedir demais? Que droga! Parem de questionar o que escolho fazer! Eu não tenho dono!

Tá, sei , poderia ser pior (aliás, sempre há uma maneira de piorar tudo, não é mesmo).
Tenho um amigo que desmarcou o casamento que ia ser agora em janeiro, vai passar o Natal longe da familia e da noiva, há milhares de quilômetros de distância pelo seu aperfeiçoamento profissional e estou aqui choramingando por que a #@&&* da instituição de fomento à pesquisa desse estado não cumpre com suas obrigações com pessoas idiotas como eu que decidiram continuar estudando ( ... e contribuir com tanta coisa para o crescimento do universidade, do estado, do país...) quando podiam mandar tudo pra PQP e irem ganhar dinheiro de forma egoísta. Pois é. Eu deveria mesmo estar ganhando dinheiro.

Aliás, eu nada.

sábado, dezembro 16, 2006

Forte dos Reis Magos (Natal, RN)

Há tempos eu não gostava tanto de um lugar como desse. Talvez pq em minha primeira visita a ele, não houve consciência ainda e apenas células crescendo e multiplicando-se.
O forte (pelo menos o q deu início a ele) é de 6 de janeiro de 1598(dia de reis -tradicionalmente tbm dia de retirar a decoração natalina, certo crianças?!A essa data,ja deu pra curar há tempos qualquer ressaca de ano-novo).
Fiquei deslumbrada com o mar lá embaixo, furioso verde.
A maior parte das minhas fotos foi perdida pq descarreguei a câmera no notebook de uma amiga e ela teve uns probleminhas para colocar num cd.







quarta-feira, dezembro 13, 2006

Um bom filme


Ver Russell Crowe falando francês foi maravilhoso, mas não foi tudo. É divertido na medida certa, algo irreverente (o lance dos ciclistas -sem trocadilhos e franceses e ingleses trocando farpas foi bom) não uma comédia 100% cor-de-rosa.
Um bom ano
era tudo que eu queria para a noite passada.
(hehe e ainda teve -céus!- cenas inéditas de "Lane e Dessa Em Busca do DVD Sagrado", correndo do Hiperbompreço pra Americanas atrás de Monty Phyton e depois voltando -ainda correndo- pro Hiper atrás do filho único escondido numa pilha de filmes infantis. Detalhe, não achamos. Daí só tinha uma e Lane, num assomo de bondade e canhenguice deixou que eu levasse o filme). Ni!



"Pardonner mes lèvres, ils trouvent le plaisir dans l'endroit mystérieux"

segunda-feira, dezembro 11, 2006

Filosofias de bocejo I


Destesto pensar nesse descompasso de fim de ano. Onze dias sem fazer nada. Não que eu esteja reclamando do feriado ou de ir viajar, descançar e tudo. O que me incomoda é a interrupção. Desnexo, como que o mundo parace - lêdo engano - para que nos espreguiçácessemos. E agora quando estou transbordante de idéias e preciso de mais uma semana arrumando os preparativos para a execução delas, tan-tan-tan-tan: o Natal tá bem às portas e eu em São Luís de novo só 02 de janeiro.
E o mais engraçado? sei que trabalho nesses dias não será uma atividade saudável pois 2007 promete e devo esquecer essas coisas e desopilar as tensões (como já diria minha amiga Yrla).
Tá certo, então...

domingo, dezembro 03, 2006

ZzZzZzZzZzZzZzZzZz


Foi a terceira disciplina do doutorado e a primeira com relações imediatas com meu projeto - criadoras de dúvidas, emaranhado de informações - e deixou-me com a cabeça formigando. Essas duas semanas foram só discussão de artigos e seminários apresentados pelos alunos. Artigos novinhos - quase todos de julho pra cá- e de revistas de impacto. Li quase tantos artigos quanto para a monografia. Estou cansada, quase exausta pela enxurrada de informações que desceram quase sempre sem mastigação alguma( quiçá degustação) - apenas engolidas - o que me diz que precisarei de muitas noites para ruminar tudo isso.

"Ouvi dizer do teu olhar ao ver a flor..."

Flores do campus da UFRN.Um dia aprendo a fotografar, mas acho q essa ate ficou boa, se nao fosse a data (e ainda errada) no cantinho...Tá, eu podia editar essa imagem.Se a preguiça deixasse..

sexta-feira, novembro 24, 2006


Tô atualmente trocando meus principios morais, boa saúde e meu desejo de emagrecer por bichinhos engraçados que vêm de brinde com sorvete do Mcdonald's. Tão lindinhos!Principalmente as aranhas(to aceitando dos meus amigos tbm, certo?)
Eu queria tanto um sapo ou uma girafa! mas só tenho aranhas e loris. Que droga!
^^

quinta-feira, novembro 23, 2006

Poxa...
Dia 31 de outubro, a Suka me deu uma linda cadernetinha de papel reciclado, com uma manchinha lilas em forma de flor.Linda...eu disse a ela que anotaria meus sonhos ali.Daí claro que a levo em toda vez que vou dormir fora de casa. Hoje, bem antes das sete, desci pra tomar café da manhacom ela e um monte de outras coisas. E ela desapareceu da mesa!!!! Assim, do nada! O pior que era a hora em que o pessoal saia (e passava do lado da mesa onde eu estava).A essa hora, alguem estará lendo meus sonhos??aiiiii Ainda bem que não tinha meu nome.


quarta-feira, novembro 15, 2006

Ohos cansados...


Sabe lá o passou na minha cabeça. Sei q foi um dia ruim, eu estava triste pra caramba e Os Gêmeos (meus vizinhos psicopatas) estavam na calçada ouvindo "olhos certos". E bah! ouvi e entrei em casa chorando.... Eu chorei ouvindo uma banda emo...E tô confessando isso no meu blog.("tempos difíceis estão por vir, Verbena" foi um dia em que só faltou aparecer alguem de barba branca e me dizer isso).Faz dias, foi no dia do post.Post bobo, como esse tbm.
Será q agora sou portadora de uma síndrome estranha? ou sempre fui? ¬¬
Estou me sentindo anormal demais...acho q preciso de umas férias.
frase da semana??ouvi ontem mil vez, de carona com o Pai do Hans-Thomas. taí, pra vcs...

"E eu não tenho nada a te dizer
Mas não me critique como eu sou
Cada um de nós é um universo, Pedro
Onde você vai eu também vou"

quinta-feira, novembro 09, 2006

Olhos Certos





=(

sábado, novembro 04, 2006

Adeus Ano Velho

* 02.11.2005
+ 02.11.2006

Posso contar o tempo de diversas formas - o ciclo da lua, ver o pobre calendário, o embalo das marés, meu próprio ciclo, o caminho que o sol faz pelo meu quarto alongando e encurtando os dias. Nenhuma, porém, satisfaz as realidades das minhas paixões. Canto para embalar meu conto nesse tempo incerto. Algo entre alternativo e inconstante, real e libertino - a rir-se de mim enquanto choro, estendo a mão para aí dançarmos juntos à beira do fogo...

Nobre poema todas as manhãs escrito! E fala de chuva, de calma, cinza, gotas salgadas num dia de sol (e azul), a surpresa de presentes inesperados, pés descalços na areia e o cheiro bom do café quando ainda estamos sonolentos na cama – impossível para quem mora só, mas ousamos sonhar.

Bom ano. Um dos mais diferentes nestes meus 25 anos, abriu possibilidades infindas de novos começos. O improvável, o inesperado. Perdas. Grandes erros. Acertos enormes. Até previsíveis, se eu tivesse parado para pensar -incoerência- enquanto vivia. Novos desejos e expectativas de quem ainda tem muito pela frente e mesmo não conseguindo tudo, querer já faz muito sentido.

Feliz Ano Novo!


quinta-feira, novembro 02, 2006

Resoluções de Beltane

Beltane passou e, contrariando as expectativas de alguns -as minhas tbm-, não escrevi nada de interessante no blog. Essa coisa minguada no blog são os efeitos da preguiça, aulas e muita coisa para escrever. Daí, quando sobra um tempinho, meus dedos pedem "penico". Ainda sobre o blog e Beltane, pensei até, no melhor estilo de besteirol hollywoodiano, em colocar um conto macabro originado das aulas de psicologia do mestre de Trevas. Em tempo, o que ele escreve não é de modo algum bobagem, mas essa de terror no Halloween é.
Aproveitei Beltane somente (?) para pensar, como que passando em revista várias coisas apenas armazenadas, amontoadas de qualquer jeito, ouvidas, lidas, mas que apenas constituíam um bolo de informações não-pensadas. E tomei algumas resoluções - pq esperar até o ano-novo? =). Algumas não, na verdade, muitas. Elas vieram chegando noite a fora, sonho e introspecção adentro, sem que me desse conta do peso de cada uma delas. Ao primeiro sol de novembro, as vi fortes e desejosas de vir-a-ser, partes de um lado mais forte e esperançoso que precisa aflorar em mim. Bem-vindas! E por favor, tenham paciência se por alguns instantes eu esquecer que vcs estão aqui...Amargas e suaves como o ramo da artemisia!









domingo, outubro 29, 2006

Spell


Beautiful witch give light to this black muddy sky
Snatch darkness from these hours
devoid of evening and morning
devoid of stars and funereal lightnings.

There is a path with no light and no moon
I ran through it to rescue my flesh from the poisoned darts.
Modify your mind follow the shapes
from the red seven to the blue one
Mark the sacred space in the name of wind and sound
Say your solemn prayer to the burning fire
Invoke the grace of water sources and raging oceans
Invite earth’s creatures to your dance.
May Rafe lead my soul to victory
He’s the master of my turbid game

May his energy bless my hand when I move the pieces
His power protects my secret plan
May his genius hasten the times.
His presence secures my triumph.
Enemies’ minds are frozen in a cloud of impotence
Their projects are sentenced to fail
No acts in the present, no acts in the future.
Now destiny is engraved on eternal memories.
Cosmic energies will spread it in the Universe.
No forces in their bodies No life in their souls.

Spell

sexta-feira, outubro 27, 2006

Murmúrio (CecíliaMeireles)


São Luis, 1908.

Murmúrio (CecíliaMeireles)


Traze-me um pouco das sombras serenas
que as nuvens transportam por cima do dia!
Um pouco de sombra, apenas,
- vê que nem te peço alegria.


Traze-me um pouco da alvura dos luares
que a noite sustenta no teu coração!
A alvura, apenas, dos ares:
- vê que nem te peço ilusão.


Traze-me um pouco da tua lembrança,
aroma perdido, saudade da flor!
- Vê que nem te digo - esperança!
- Vê que nem sequer sonho - amor!

quarta-feira, outubro 25, 2006

Chá gelado


Acordei querendo tomar chá gelado com limão... Doendo de tão gelado. Eram 3:30 da manhã. Contentei-me com um café pra matar meu sono.
Eita dia que começa cedo e nem sei se termina...

Aula no centro, depois UEMA( um almoço às carreiras e muita coisa pra imprimir).Voltar pro centro (Materno-Infantil - 1 h e 39 minutos de espera (recompensadas por boas notícias.Ir pra casa (finalmente, já escuro...)

E eu ainda queria o chá. De manhã ainda pedi ao meu pai,antes eu ele viajasse, pra comprar chá e limão.Quando voltei, surpresa!! ele fez uma festa na sessão de hortifrutigranjeiros mas nem sombra do chá, nem cheiro do limão... Daí, lá vou eu ao supermercado.

Chá, limão, chá, limão, chá....

Nossa, quanto doce...Ai, que vontade...Mas não posso, não devo... não posso, não devo. Não quero!! Ai... Tá, eu até queria mas é melhor pensar no que me revelou a balança e sossegar os doces por enquanto. Foi engraçado, de tão feliz q estou, nem as revelações da balança mexeram com o meu humor. Então, fugindo das tentações, acabo dando de cara com algumas lindas garrafinhas de vinho? E pq não? Eu tinha o que comemorar: a bolsa do doutorado. Pena que beber sozinha é ruim.Ah, mas jantar sozinha também é! Acontece.

Bem, vai o vinho, o chá, limões, coisinhas pra lanche diet...Oh, vida! Doce é tão bom!




terça-feira, outubro 24, 2006

"A renúncia é a libertação. Não querer é poder."


"A renúncia é a libertação. Não querer é poder." Fernando Pessoa, Livro do Desassossego
Nesses tempos, quando tudo me acontence às carreiras, perdi um dos hábitos da minha tosca imaginação: imaginar realidades alternativas. E assim, pesava minhas escolhas, a palavra solta, o que ficou preso, o não, o beijo, o telefonema que não dei, minha surdez ante os gritos da dúvida - quando duvidar ainda resultaria em sossego, em prece, em solução-, surdez também aos sinais de alerta, ao gesto que poderia ter mil sentidos e não vi nada. Daí, podia até lamentar-me pela esquina não dobrada, percorrida a rua rumo ao nada. Lamentar-me da impaciência, dos sentimentos incontidos, da não-tolerância e tudo que me turva o raciocínio. Lamentar-me de mim.
Passou. E agora, mesmo sabendo que tudo poderia ser diferente, me resigno não a fatos aleatórios ou ao destino, mas a força dos sonhos provavéis, desejos possíveis. Não mais querendo o que não posso ter. Não querer é libertar-se. Dos desejos, das vontades... Pena liberdade mesmo é algo que nem existe.

terça-feira, outubro 17, 2006

...eu....



Sou bem esquisitinha
Na maioria das vezes minha cara é de poucos amigos
SOu estressada
E trancada com quem não conheço direito
Não tenho frescuras com nda e nao gosto de gente muito fresca
Gosto de abraços de pessoas amigas
Tenho hábitos estranhos
Tenhos hábitos quase normais mas que parecem TOC
Gosto de olhar o céu, dia ou noite
adoro roxo,lavanda,lilás e tudo quanto é variação dessas cores
Adoro gatos (não tanto quanto a Aline...)
Queria não precisar dormir
Penso muita muita besteira
Morro de medo de situações que possam causar dor física ( de acidentes de trânsito a partos...argh)
Amo refresco de maracujá e coca light
Choro por tudo
Sou muito curiosa
louca louca por RPG ( principalmente D&D e Mago....Mas agora jogo Trevas...)
Sou fã de plantas e "mexer" com a terra
Acho massa ficar observando insetos e ja pensei seriamente em ser entomologista
Já pensei seriamente em ser historiadora, psicóloga, astrônoma (hehe...)
Tenho poucos amigos e sou dificil pra considerar alguem como tal mas uma vez que eu considere, faço tudo por eles.
Tenho um grande interesse por venenos
Amo roupas bem folgadas
gosto de dias frios
Amo ler lendas e tbm sobre religiões antigas, teorias de conspirações e astronomia
Amo ler sobre a maioria das coisas
Fico sentada no escuro pensando na vida
Amo tomar banho de chuva
Cultivo o desejo secreto que a coruja inquilina do meu vizinho de frente um dia se mude pra cá...
Adoro sentar em janelas
Posso ser bem direta (não costumo falar nada pra agradar), entao, se eu estiver calada, pense bem antes de pedir opnião.
roupa perfeita?Jeans e jaleco!
Acredito em poucas coisas ( e elas tem diminuido muito...) mas aquelas que ainda são, eu as tenho como dogmas.
Detesto comédias românticas
Detesto chegar atrasada ( entao quando isso acontecer, eu tenho fortes razões, acredite!)
odeio que me deixem esperando e gente que marca e nao cumpre!
Adoro receber msg
gosto muito muito de lápis e de papel com textura porosa (amo escrever tbm!)
Odeio tomar remédios
SOu um pouco metida
muito manhosa...
...passional, precipitada, estabanada, desastrada (aff)
Detesto cor de rosa
Adoro andar descalço (na areia então...)
Não sou muito boa em perdoar
Adoro dias chuvosos
Esqueço meu celular em todo lugar.
E me perco olhando a vida.


(isso esteve dias a fio em meu orkut... )

sexta-feira, outubro 13, 2006


Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

Alvaro de Campos

Para nós, as não-bobinhas, quando -estarrecidas- rolamos de rir com tantos comentários infames e insanos blogs a fora.... É o amor, gente!

sábado, outubro 07, 2006

Eu não disse que chegava??

Dentro de alguns minutos, uma "alguém " ali será uma ex-quase 25. Você é a ultima do Quarteto Fantástico a adentrar por esses portões carcomidos, enferrujados e rangedores, beirais da estrada que percorremos depois de fazer 1/4 de século...

De verdade? Não há mudanças radicais.
O chão não vai abrir sob nossos pés (eu achei isso quando ia fazer 20 anos..Foi mais chocante que os 25...).
Rugas não surgem do dia pra noite. Nem cabelos brancos. Taopouco artrite, reumatismos, insônia...hehe
Nem ficamos mais cansados, deprimidos ou sei lá o que.
Infelizmente, não ganhamos mais níveis de sabedoria tão fácil e essa de que "ela" vem com a idade tbm não é tão real assim. É, sabedoria é algo que o "mestre" da vida não nos deixa ganhar níveis tão rápido. Pessoas mais velhas também fazem besteiras.
Tudo está apenas começando....

P A R A B É N S
A vida está às portas agora! Jájá vc será uma veterinária lindinha. Terá sua casa. Cuidará de gatinhos fofs. E terá meus sobrinhos.
Amo muito vc. Irmã, A Velha, conselheira, chata de plantão, ombro amigo...
Poxa, nem posso levar bolo pra vc amanhã! Mas salada vai!


Hoje

I

Noite ruim. Muita chateação (chateações fraternais) + um jogo que não consigo zerar. Noite mal-dormida.

II

Estou triste desde as primeiras horas do dia (meia noite e um ...hehehe). É péssimo quando alguém em quem eu devia confiar faz algo que me machuca e não é a primeira vez e sei que não será a última. Pena que estamos ligadas por algo mais que só amizade.

III

É mito essa de que compras deixam qualquer mulher feliz. Não adiantou nada. Jeans, uma camiseta roxa que foi um achado, vestidos...Shopping...Eu continuei assim como estou...
Cinema tbm não surtiu efeito. Almoçar fora tbm não. Jantar fora tbm não. Tomar vinho?Idem.
Que raios será isso?

IV


Cólicas.

V

Gostaria que muita gente entendesse que não é o fato de "fazer doutorado aos 25 anos" que vai deixar-me mais feliz, isso não é uma epifania, não traz uma linda filosofia de vida imbuida, é desprovido de qualquer manifestação de fé -ou sabedoria ou espiritualidade ou sei lá o quê. Não é cura para os grandes mistérios da humanidade, descrença, anseios pessoais sobre o futuro, solidão, questionamentos sobre vida ou morte, céu ou inferno, açúcar ou adoçante. Não me faz melhor enquanto ser humano, não conserta corações partidos, não arruma problemas com alto-estima e nem melhora o senso crítico... Só estou estudando mais. Só! Parece simplório, mais é a verdade. Então, claro que o doutorado não é a solução da minha vida, problemas e tudo o mais. Há tanto para desejar...Coisas tão mais importantes!

VI

"A glória a que aspiro é a de ter vivido tranqüilo [...] em sendo a filosofia incapaz de mostrar o caminho que conduz ao repouso da alma que a todos convém, que cada qual por seu lado o procure." - Michel de Montaige - Ensaios

VII

Isso aqui tá virando um blog culto.Pq Montaige? Talvez pq eu que já aprendi a morrer* queria refugiar-me em uma torre-biblioteca e - como ele - escrever, escrever e escrever, me tendo como assunto. (Quem chegaria primeiro? A Morte ou o Tédio?)


VIII

"il n'y a point de fin en nos inquisitions".
Montaige de novo...

IX
Ah, basta de devaneios por hj...


* Montaigne é autor de uma frase bem conhecida "Filosofar é aprender a morrer". Gostinho de frase feita ( e seus ensaios são mesmo cheios de frases e textinhos de efeito.).

terça-feira, outubro 03, 2006

Nesse dias...

...descobri que sempre há como ser surpreendida pelas pessoas...

...sofro com a dor alheia. Dor causada pela indecisão (talvez pq outros indecisos me tenham magoado...talvez...).

...Minha linda elfa barda vai ressussitar...

...concordei quando alguem que me adora disse: "ultimamente ou você está muito irritada ou triste".Estou insuportável.

...num desses fins de semana em família, descobri que pouco sei o que é viver em família. E não sei quando farei algo que agradará meus pais-ou pelo menos os deixará sem terem pq reclamarem (será a morte?).

... cheguei a um consenso nessa luta q travo comigo: É engano achar que eu tenho coragem para dizer tudo ( e na cara). É apenas uma imaginária utopia, como imaginárias têm sido muitas coisas para mim.

...brinquei de LOST.

...dormi, dormi, dormi...

... lembrei de Sebastian, falando algo bem aplicável a minha pessoa "Os caras trocam mesmo você pelas bobinhas".

... achei coisas pelas quais me arrependo bastante. Eu poderia precisar delas para crescer- ou não - mas me sentiria mais feliz se ali eu tivesse sido outra e não achado que ja fiz demais e era hora de dar um tranco.

...tomei sol.

... Espantei-me infinitamente como o prazer de coisas simples como olhar o céu de um lugar onde não cheguem essas luzes da modernidade ou estar molhada e aquecer-me na beira de uma fogueira ou sentir o sal caindo gostoso em pingos do mar.

...fiquei assustada na concordância de pensamentos que divido com minha irmã. Não coisas banais mas algo como a medula das nossas ações, o âmago de nossa consciência.

... comi, comi, comi...

...tive outra divagação maluca, mas essa de beira de praia, fruto da ultima semana:"Não pense que algo nunca acontecerá outra vez. O futuro pode até ser incerto, mas somos previsíveis."

... De verdade?Eu tô afim é do que me faz bem!(nem q isso seja deixar de lado chocolate...)



segunda-feira, setembro 25, 2006

Sleeping Sun

essa hst de eclipse me lembrou Nightwish.... E uma das musicas que eu adorava dessa banda...
Mais um dos que foram perdendo o sentido... é o tempo ou minha alma que se cansou das (velhas) coisas?




E esse...versao de 2005

sexta-feira, setembro 22, 2006

Sleeping Sun


Meu celular ainda desperta às 5:50, mesmo com a paralização da UEMA. Apenas vejo que horas são e volto a dormir.

06:57, minha irmãzinha liga.
" você não tá vendo o eclipse??"
"nah, nem lembrava...to na cama!"

"Céus! Eu não lembrava!" Pulo num susto e 8 minutos depois de uma rápida e estranha sequência de escovardentes-tomarbanho-e-pentearcabelo (??), saio de casa pra ver esse sol transmorfo em uma espécie de crescente de luz. Eram 07:05, o ápice do eclipse. E me deixei ficar assim por meia hora, absorta apenas em vê-lo, livre de outras coisas pra pensar.

Esse é, incrivelmente, o segundo eclipse de setembro e vai demorar muito para ter outro assim no Nordeste. 2022 um total, segundo minha irmã.Engraçado, ela estava na praia olhando o eclipse com o Ares e disse ter sentido medo.
Medo... esse não é seu primeiro eclipse. Ela tem 23 anos. Estamos no século XXI...Mas ela teve medo. De quê?

(depois coloco alguma foto do eclipse de hj...ainda nao tinha nada na net)

quinta-feira, setembro 21, 2006

Que Assim Seja...

Dias que não passam...Tempo que se arrasta...E ainda a insônia...Seria mais da alma que das dores do meu corpo?

Amém

(Fernando Anitelli)

"Pelo retrovisor enxergamos tudo ao contrário
Letras, lados, lestes
O relógio de pulso pula de uma mão para outra e na verdade... ]
[ nada muda
A criança que me pediu dez centavos é um homem de idade ]
[ no meu retrovisor
A menina debruçando favores toda suja
É mãe de filhos que não conhece
Vendeu-os por açúcar
Prendas de quermesse
A placa do carro da frente se inverte quando passo por ele
E nesse tráfego acelero o que posso
Acho que não ultrapasso e quando o faço nem noto
O farol fecha...
Outras flores e carros surgem em meu retrovisor
Retrovisor é passado
É de vez em quando... do meu lado
Nunca é na frente
É o segundo mais tarde... próximo... seguinte
É o que passou e muitas vezes ninguém viu
Retrovisor nos mostra o que ficou; o que partiu
O que agora só ficou no pensamento
Retrovisor é mesmice em dia de trânsito lento
Retrovisor mostra meus olhos com lembranças mal resolvidas
Mostra as ruas que escolhi... calçadas e avenidas
Deixa explícito que se vou pra frente
Coisas ficam para trás
A gente só nunca sabe... que coisas são essas"

sábado, setembro 16, 2006

Das coisas que não podemos ter...


Era uma vez um gordinho e lindo gatinho preto e branco, de pelo brilhante e bem divertido.Ele foi atropelado, levado ao hospital veterinário da universidade estadual e abandonado lá. Cirurgia feita, paciente fora de risco...Mas ele perdeu 2 dedinhos de uma de suas mãozinhas.Não conseguia andar tão bem quanto antes.E nem por isso deixou de brincar.
Ele rodava lá pelo prédio, feliz e saltitante, correndo atras de qualquer coisa.Brincava com as pontas dos jalecos e ronronava feliz quando eu o colocava no colo...E assim passou-se quase um mês (ou talvez tenha realmente passado um mês).Daí houve o feriado, todo mundo viajou e os gatos da vet, que os alunos cuidavam, misteriosamente foram envenenados.Foi horrivel ter procurado por ele toda essa semana para ontem descobrir o que realmente aconteceu.
Eu quis muito esse gatinho.Procurei donos pra ele, chorei de joelhos para ver se comovia meu pai, tentei convencer Aline que quem tem 25 gatos pode ter 26 sem maiores problemas...E agora ele se foi.Prefiro pensar que a inteligencia dos bichos seja mesmo bem limitada para que eles não tenham como pensar nas dores do abandono, da perda de seus irmãos, dos maus tratos...
Eu quis mesmo que ele tivesse mais. Uma casa,alguém que pensasse no quanto ele era fofinho e brincasse com ele ao fim do dia.
E as pessoas continuam a abandonar filhotes e animais doentes por lá.Só gostamos mesmo do que nos serve?
tente ajudar

"Gatinho, sei que você está bem agora.Se existir algum lugar para onde vão os gatos, sei que haverá tigelas de leite e borboletas pra correr atras pelas colinas. Se não houver nada disso, não tem problema...Não havendo consciencia, não há nada e isso ainda é melhor do que estar aqui.A morte é o fim de todas as dores e alegrias, todas as expectativas e esperanças tbm..."

quinta-feira, setembro 14, 2006

blogs, desânimo e ..e sei lá mais o que


Estou começando a achar que blogs não tem mais graça.Confesso, já ensaiei a morte desse aqui várias vezes no último mês. Nesses dias, escrevi várias coisas e não postei nada.E me senti na obrigação de postar algo.E havia tanta coisa...contos, aventuras de moto nas dunas em Tutóia,o monstro do armário que foi embora, um psicopata que devo supervisonar 3x por semana, rolos, livros, filmes, divagações a respeito do meu despertador...nada parece interessante o suficiente, completo e exato.

domingo, setembro 03, 2006

Eu parto que nem ar, sacudo os cabelos brancos ao sol que está indo embora,

derramo minha carne em remoinhos e a deixo flutuando em pontas rendilhadas.

Eu me planto no chão para crescer com a relva que eu amo,
se de novo me quiserdes buscai-me embaixo das solas dos vossos sapatos.

Dificilmente sabereis quem sou ou o que significo,
mas, apesar de tudo para vós serei boa saúde
purificando e dando fibra ao vosso sangue.

Deixando de encontrar-me ao primeiro momento, conservai a coragem:
perdendo-me em algum lugar, ide procurar-me em outro;
em algum ponto eu hei de estar parado a esperar por vós.

Walt Whitman, Folhas de Relva,tradução Geir Campos, 1964



Poeminho do Contra

Todos esses que aí estão
Atravancando meu caminho,
Eles passarão...
Eu passarinho!

(Prosa e Verso, 1978)

(Mario Quintana)

segunda-feira, agosto 28, 2006

Post Pré-TPM

Quantas pessoas precisam pra trocar uma lâmpada??
Se essas pessoas forem:

Patricinhas?
Duas: uma pra segurar a Coca light e outra pra chamar o papai.

Drags?
Seis: um para trocar e cinco para ficar gritando:
-Linda! Poderosa! Maravilhosa! Divina! Tuuudoo!

Psicólogos?
Apenas um, mas a lâmpada PRECISA QUERER ser trocada.

Portugueses?
Cinco: um para segurar a lâmpada e outros quatro para girarem a escada.

Pessoas da área de software?
Nenhum. Isso é um problema de hardware.

Consultores?
Dois... Um sempre abandona o trabalho no meio do projeto.

Bêbados?
Um, só pra segurar a lâmpada, enquanto o teto vai rodando.

Desenvolvedores de sistemas?
Trocar pra quê! Não tem problema algum com a lâmpada velha, porque nos testes aqui no escritório ela funcionava bem.

Cantores sertanejos?
Dois: um troca a lâmpada e o outro escreve uma canção sobre os bons tempos da lâmpada antiga...

Machões?
Nenhum: macho não tem medo de escuro.

Peruas?
Duas: uma chama o eletricista e a outra prepara os drinques.

Mulher com TPM?
Só ela!
Sozinha!! Porque ninguém, dentro desta casa sabe como trocar uma lâmpada! São um bando de IMPRESTÁVEIS!!!
Eles nem percebem que a lâmpada queimou!
Eles podem ficar em casa no escuro por 3 dias antes de notar que a bosta da lâmpada queimou!
E quando eles notarem, vão passar mais 5 dias esperando que EU troque a lâmpada, porque eles acham que EU sou a ESCRAVA deles!!!
E quando eles se derem conta de que eu não vou trocar a lâmpada, eles ainda vão ficar mais 2 dias no escuro porque não sabem que as lâmpadas novas ficam dentro da merda da dispensa!
E se, por algum milagre, eles encontrarem as lâmpadas novas, vão arrastar a poltrona da sala até o lugar onde está a lâmpada queimada e vão arranhar o piso todo, porque são INCAPAZES de saber onde a escada fica guardada!
É inútil esperar que eles troquem a lâmpada, então sou eu mesma quem vai trocá-la!
E como eu sou uma mulher independente, vou lá e troco!
E SOME DA MINHA FRENTE!!!

para o Pai do Hans-Thomas, Lane e Alguém de quase vinte e cinco anos ...
adoro vcs!!
E não é que estou jogando RPG de novo! Sábado passado foi a segunda sessão. Tudo está muito interessante, daquelas coisas que você passa a semana interia pensando e bem ansioso para jogar de novo. E enchendo o mestre de perguntas pelo GTalk (mas isso, descofio que ele gosta).
Há algumas coisas que gostaria de deixar registradas aqui:
* eu nunca joguei nada com hst de demônios e coisas desse tipo... sempre disse que não jogaria, mas não é que esse diabo é interessante... (hum...tenho que parar como esses termos de cunho demonológicos... principalmente se o mestre estiver ouvindo..ou lendo...vai que ele se empolga mais do que ja está!)
* nunca temi tanto por um personagem.É estranho, que ela só existe há 3 semanas, mas o negócio tá ficando "remoso". E não temo pela vida e sim pela sanidade.
* Não sei que idéia é essa de pontos de sanidade. Eu não concordo com isso!!
* por causa desse jogo, eu tô levando meu monstro do armário mais a sério! E ele tbm!

segunda-feira, agosto 21, 2006


Gostaria de ter passado a manhã inteira chorando.

Acordei ainda escuro, sentindo os tremores de um daqueles pesadelos que nos impedem de abrir a porta do quarto: pode haver perigo lá fora... E assim, temerosa e ainda na cama, planejei meu dia.

7:08, eu sabia que não seria nada daquilo.

E estou aqui, 14:28 pensando que perdi um dia - logo eu , não sem tempo - e ele não me será devolvido.

Me revolvem por dentro as incongruências da vida e queria ter um pouco de sossego nesse instante. Talvez mais organização. Ou estou mesmo colhendo frutos de coisas que escolhi não fazer e agora sinto falta. E nem havia nuvens essa manhã e sofri assim, sem me ausentar ou andar à cata de desculpas, não havia onde esconder-me. Tãopouco pude ler e esperar o tempo passar. Precisei mesmo me consumir e ao final, não renascer e ver que meus insolúveis problemas ainda estavam aqui.E estaria mesmo melhor agora se tivesse chorado. Esse embrulho, essa coisa contida não existiriam. Eu queria mesmo saber tudo só para não precisar de ninguém...

domingo, agosto 20, 2006

Há coisas para as quais simplesmente não estamos preparados. Por mais que se imagine o quanto elas são prováveis e as pessoas sempre serão capazes de nos surpreender...Pessoas são estranhas...

Eu nunca fui a aluna mais dedicada do mundo enquanto fazia o Ensino Médio (segundo grau na época, mas isso é detalhe), mas nunca fiquei “dependurada”, sempre passava por média em tudo. Meus professores de biologia e história me adoravam, mas alguns como os de matemática e inglês sabiam que eu estava em outro planeta (ou talvez na Umbra) durante as aulas deles.

Sim, meu professor de inglês... Da 8ª série ao 3º ano e nunca tivemos envolvimento pessoal de tipo algum, nada fora da sala de aula como outros professores com os quais conversava o intervalo inteiro. Eu, relapsa, e na época, nada interessada nisso (a menos que houvessem expressões idiomáticas em algo que eu estivesse lendo... Taí,, lembro de uma conversa, no 1º ano, sobre Wuthering Heights - o livro e não a música argh), nem sempre tinha paciência para assistir aula (coisa que me acompanhou a graduação inteira...). Mas assistia aula, eu era obrigada a isso, sempre meio apática. Ele, um excelente professor e um cara muito inteligente e sacado de tudo (era como se reunisse todo o conhecimento enciclopédico...), alguém que eu considerava analítico e sagaz. Ele era meio que sarcástico às vezes e eu, às vezes, achava massa isso. Tipo, ele nos dava muito “tapa na cara”, diplomaticamente, pela falta de simancol da turma em empurrar tudo com a barriga, por muitas vezes parecer que a escola era apenas uma satisfação aos pais e não necessidade nossa. Mas ele conseguia ser cruel também ou demonstrar de maneira bem clara, que não estava nem aí pra gente.

Lembro-me da última vez que o vi. Março ou abril de 99, passei na escola para pegar uns documentos, daí fui ver meus professores (infelizmente não estavam lá os que eu mais queria ver) e eles perguntaram como eu estava e disse-lhes que passara no vestibular para Farmácia em outro estado. E um deles brincou:

- então sugere algo pra dor de cabeça que eu to mal!

E meu professor de inglês disse;

- Que é isso? Não vá complicar a menina....

Isso foi engraçadinho...

Essa semana, encontrei-o no orkut..Sei que ele não lembra de mim, muito anos, muitos alunos e, como eu disse, mal nos falávamos fora de sala de aula ( e dentro dela também). Eu disse isso em um scrap e o adicionei. Daí, na véspera do meu aniversário, ele mandou uma mensagem pelo orkut. Não scrap, mensagem mesmo. Tomei até um susto quando a vi em meu e-mail. Foi a mensagem de aniversário mais legal que recebi. Algo pessoal, nada de mais, só que havia calor humano ali e foi totalmente inesperada. Isso tocou fundo.

Nesse mesmo dia, antes de ler essa mensagem, fui ver alguém a quem amo muito e passei os últimos 4 anos e meio trabalhando junto, dedicando-me a seus projetos e idéias, que me ensinou muito, não só academicamente. Alguém que sempre pareceu torcer por meus sonhos e me dizia “você consegue”, “acredite, lute pelos seus sonhos”.

Daí, quando eu consigo chegar, essa pessoa não consegue demonstrar alegria alguma e ainda age comigo de forma a machucar bem no fundo, o máximo que ela conseguira chegar. Talvez por ciúmes em não ser a intermediadora do processo, pois em meio a muitas palavras cortantes, essa pessoa disse que eu ainda deveria ainda estar com ela.

Poxa, e aquele laboratório e a figura dessa pessoa são coisas tão marcantes, tão adoradas e eu haverei de levá-las sempre. Mas ali, naquele instante, nem parecia a mesma pessoa Eu fiquei sem chão, como algo sem apoio, pois, nesse meio, ela sempre foi isso para mim. Ela se foi e fiquei chorando no colo do Will... Foi tempo demais acalentando um sonho para que quem me fez começar a sonhar simplesmente ignorasse tudo, grande parte da realização do sonho.Logo alguém a quem tenho profunda consideração. Nem consigo entender como isso aconteceu muito menos aceitar. Só resta esperar que pare de doer.

Algumas coisas parecem sempre as mesmas. Sempre, e sou grata por isso... Will não mudou. Adorável companheiro daqueles dias assombrados no NIBA, paciente ouvinte das loucuras minhas e da Naty, alguém com saco para limpar as gaiolas de camundongos que nem eram dele (e sem esperar nada em troca), um amigo que me fez rir, encheu a paciência para eu comer direito, ia comprar refrigerante no prédio vizinho, pegar ervas para nossos chás de fins-de-tarde (Naty e eu nunca queríamos ir ao herbário) e secou tantas lágrimas minhas, nascidas de tantas causas... Isso sem falar da cerveja nas tardes quentes daquele congresso no Piauí. =)

quinta-feira, agosto 17, 2006

segunda-feira, agosto 14, 2006

The Gladiator



Os “Campos Elíseos” eram parte do Hades onde heróis e pessoas boas continuavam suas vidas, enquanto fossem lembrados aqui nesse nosso plano. Daí vem parte do costume da adoração aos ancestrais dos antigos gregos e romanos. (Bem, isso foi o que aprendi nas aulas de história, ainda no Ensino Fundamental. Se bem que, depois dessa tarde, vou pensar bem antes de abrir a boca – ou escrever sobre algo...indiretamente me chamaram de burra, mas isso é assunto pra outro post menos sério.) Eu estava assistindo The Gladiator. Eu adoro esse filme. Eu choro todas as vezes. Eu chorei dessa também. E me senti bem depois. Muitíssimo bem. E por que esse post é sério? Ele fala de honra. É isso. Mesmo que a inspiração tenha sido a honra de uma personagem hollywoodiana.

Penso que não disse isso somente a uma pessoa, mas lembro bem da quase revolta da última. Eu queria ter nascido homem, e em outra época. Ideais de bravura, lealdade, luta, sangue e glória me seduzem - e é assim desde que me lembro.Tá, pode ser que tenha sido um excesso de novelas de cavalaria, admito. Acho que queria algo meio "Coração de Dragão"
"Um cavaleiro jura bravura,
Seu coração só tem virtudes,
Sua espada defende o oprimido,
Seu poder apóia os fracos,
Sua plavra fala só a verdade,
Sua fúria destrói a maldade..."

Não sei ao certo o que é, mas invejo a fé pela qual se dá a vida (pode ser até uma heresia nesses tempos de Jihad...). Seja na justiça, no futuro de um país, naquilo que se aprendeu a amar ou na esperança de voltar para casa e abraçar alguém de quem se sente muita falta. Eu queria ter sido um guerreiro, nem que minha crença fosse somente punho e espada, um paladino das batalhas, devoto à honra de guerreiro. Mesmo me achando longe da pessoa que gostaria de ser, eu gosto de pensar que seria um guerreiro honrado. Digno, reto, justo, nobre. Eu procuro seguir meu código de cavaleiro que é a ética na ciência, mas há o que melhorar em outros aspectos da vida, eu sei. São tempos difíceis...

Amar algo a ponto de dar sua vida... Acho que é isso que me falta. Admiro a maneira com que o Maximus fala de sua casa, da mulher e filho lhe esperando, da colheita do trigo, na forma com que ele pensa e lembra disso (coisas tão simples e eu com tanto porém a respeito de tudo, sempre lutando para não me apegar a lugar algum ou ninguém por não saber aceitar que nunca se tem o controle das coisas e nada sai exatamente como o planejado).... Parece que me falta algo realmente para dar sentido a tudo. Algo em si sentir pequena, frágil e... Ah, e tanta coisa que nem cabe aqui dizer.

Aquelas cenas em que Maximus anda pelos campos sempre me deixam com aperto no coração. Lembra um lugar que adoro, no sítio da minha mãe. É um pequeno descampado (nem nada perto dos campos do filme), pouquíssima coisa mais alto que a região, com algumas árvores nas proximidades, isso em meio a uma vegetação arbustiva. O capim cresce muito e na época seca (como agora) ele chega até metade da minha coxa e está dourado. Eu gosto de deitar em meio ao capim, ficar olhando o céu, tendo aos ouvidos aquele som gostoso que as hastes do capim murmuram ao serem balançadas pelo vento. Sinto-me muito à vontade lá. Se ainda fosse praxe escolher o lugar dos túmulos, como bem antigamente, o meu seria nesse lugar. Quando eu era pequena, achava tão longe da casa, passávamos por lá sempre de carro e haviam cabras pastando. Quando há chuva, o capim fica curtinho e há manchas mais escuras aqui e ali. E nunca estive lá durante a noite e acho que ainda esse mês farei isso. Quero olhar estrelas e secretamente pedir a elas que alguém esteja pensando em mim quando eu for, para que parte minha ainda exista em algum plano...




sábado, agosto 12, 2006


Era uma manhã de quinta-feira. Eu estava ainda deitada, a despeito de serem 11 hs. Secretamente, buscava maneiras de torturar meu dentista (tão bonzinho ele...todas as vezes que vou arrumar esse maldito aparelho, ele pergunta: vc sentiu raiva de mim...e eu " não, não"..Claro que não foi raiva..foi algo mais maléfico e profundo...). Bem, daí me ligam do laboratório. Uma planta tóxica pra analisar (pelo menos foi o que me disseram) e eu aceitei saltitante, adoro venenos.
....
....
Ao invés da linda e venenosa planta havia 13 vacas mortas e fígado e conteúdo ruminal (eca!!) para analisar. Elas ficaram anorexicas, trôpegas, e "secas por dentro", isso segundo um tal dum laudo de necropsia que veio de lá.As pobres vaquinhas estavam vacinadas pra tudo o que vcs imaginarem (e mais de uma vez, pq quem cuidava do manejo, ao ver o gado morrendo tratou de vacinar 3 outras vezes..Se elas fossem minhas, esse cara talvez tbm estivesse buraco). Poderia ter sido plantas tóxicas( saponinas e alcalóides... Há uma planta fofinha assim na região), como a suspeita primaria dizia, mas conversando com um professor da "plantas tóxicas" ,experiente veterinario e e coordenador dessa graduação e que conhece a região, um senhor com o jeito tão confiável quanto o John Locke de Lost (graças a Deus que não como o Canceroso)disse-me, depois de explicar a ilógica do quadro de vacinação ao qual o gado foi submetido, que há pastagens suficientes no momento entao é bem improvavel ser alguma planta tóxica...
Terá sido o chupa-cabras??
ops
chupa-vacas!!!
Nem vou entrar na questão de como essa cidade está cheia de chupa-vacas, tá que o gado é de pelo menos 700 km daqui, mas queria dizer pra vcs, leitores, que chupa-vacas são comuns..quem sabe até um leia esse post ...Sim!! Eles estão entre nós!!
As vacas podem ter sido usadas em experimentos alienígenas e daí está essa sintomatologia pq eu ainda não progredi em nada com esse caso...nada mesmo
Hum...será que aparecerá alguém tão fofs quanto o David Duchovny (Lane, tá escrito certo!?!?)
E vou cruzar os dedos para que apareça!
Bem, e se não for o chupa-vacas?
...um veterinário despedido e sem os direitos trabalhistas está envenenando o rebanho...
...adolescentes da vizinhança estão tramando tudo isso para que sua cidade fique famosa (e eles, consequentemente...)
...A tal planta se disfarçou em capim...
...o dono da fazenda quer receber o milhonário "Seguro por Doenças Alienígenas Não-Identificáveis" que ele fez há alguns meses...
...As vacas viram algumas revistas de moda e se acharam gordas..daí começou tudo..É anorexia!
...As vacas eram suicidas e comeram a planta conscientes do que estavam fazendo...
...As vacas queriam só fumar unzinho e pegaram a planta...
...Tudo isso foi obra do capim transgênico não liberado pelo governo - por não ser seguro- que foi contrabandeado para o estado...
...Elas faziam parte do Templo da Ordem Solar...Suicído ritual...acontece...
....
....
...Foi o Ruivo Hering
:)

Isso Existe?

Fui revisar meu perfil no orkut (mas deu preguiça e não mudei nada). É que uma amiga ficou “tirando onda” sobre coisas que tem lá sobre meus hábitos na ingesta de bebidas com algum teor de etanol e são inverdades. rs Também não posso abrir minha vida no orkut, gente!! Daí fui olhar meu perfil pessoal e ri pra caramba da tal questão sobre “par perfeito”. Tinha tacado anteriormente lá um um Isso Existe? depois que desisti de topar na rua com o Mr. Darcy. rs Não existe mesmo. Mas olha aqui mais ou menos o que eu colocaria, se lá tivesse espaço pra tanto...

Alguém que reúna em mim todas as vontades - e as satisfaça. Não só cama, nem só cérebro, céu azul, poesia ou um jantar. Alguém que saiba também da lua e suporte grandes silêncios abraçados nesses tantos momentos em que tenho preguiça até de falar. Alguém que tenha medos e defeitos – e não os esconda -, que goste das cores, que possa ficar fins de tarde em “sebos” e livrarias, a descobri pequenos tesouros... Que ame coisas antigas, até o olhar guardado dos velhinhos nos bancos das praças. E sinta as praças, seus bancos a murmurar tolos segredos, as pedras irregulares impassíveis aos anos a fazer-me tropeçar nessa minha constante distração.

Um ser sereno e de alma mais forte, que saiba sentir quando anseio força ou que as pétalas me ferem. Que tenha vontades confessas e me deixe ver quando lhe faço bem, me conte como foi seu dia e admita, queira, assuma,ouse mesmo na previsibilidade de todo ser humano. Que seja humano! E goste de carinhos pra dormir, entenda minhas necessidades de estar só, de duvidar, de beijos demorados e não—convencionais, de sair da rotina de vez em quando ou passar meses com os hábitos inalterados. E que a ele eu não tenha que me explicar, dar satisfações, que não vasculhe meu computador, blogs dos meus amigos, e-mails ou sei lá o quê, me fazendo sentir vigiada. Mas que ligue, tenha suaves ciúmes, me envie e-mails ou cartas quando eu estiver distante, às quais responderei ternamente. E entenda essa minha necessidade de viajar, com a certeza de que não vai ser pra sempre e no momento preciso mesmo disso e eu não tenho coração de marinheiro.

Uma pessoa direta, que não tome seus “achismos” como verdade. Decidida, gentil, amorosa, justa, que não tenha medo de mudar, crescer, ousar, viver... Ente feérico que comigo compartilhe mais que sonhos, trevas, luz, mistério e penumbra. E rime palavras bobas para fazer-me sorrir, goste dos meus carinhos e beijos roubados e desejos fúteis de quem só quer estar perto...

quarta-feira, agosto 09, 2006

Mensagens

Agora estou aqui me roendo por dentro.Quero mandar uma msg pra uma certa pessoa e fico pensando como serei interpretada. É alguem legal e que não está muito bem, daí tenho vontades de mandar mensagens de bom dia, boa noite ou uma lá pelo meio do dia só pra ver se a criatura dá um sorrisinho (todo mundo anda dizendo mesmo que sou uma palhaça-né Suh?- talvez adiantasse...Mas tenho medo. Como eu disse uns posts abaixo, ficamos supondo muitas coisas q nem sempre são verdade.Eu sei q não vou mandar mesmo a msg, por mais q meus dedos coçem e eu ja a tenha escrito e apagado um bilhão de vezes...hehe
:$ e se a msg chegar quando a tal pessoa estiver no banheiro?
:( vai q sou mal interpretada?
;( E se eu ficar parecida com aquele velho papel pega-mosca?
Riscos,riscos e mais riscos...
E eu que sempre fiz o que me dá na telha...E agora to assim, com medo das inconveniências.
Eu ja fui comedida demais...Expansiva demais...agora to num meio termo que não é o equilíbrio, mas vai q um dia eu acerto no ponto da massa?
A droga é que a pessoa pra quem era a msg vai ler isso e achar que é pra ela...
E dessa vez vai acertar!
Digo dessa vez pq sei que de vez em quando há coisas aqui que a tal pessoa lê e acha q são pra ela.Hehe só que não são. Alias, foram uma ou duas vezes. Mas pra quem acha ja terem sido 10, hehe, vc tá enganadinho.
argh, que post ridículo!



sábado, agosto 05, 2006

Santo Arcoxia!! (ou como a Química Farmacêutica pode melhorar sua vida, a despeito de seus traumas com Luiz Mário*)


Sábado
Pois é, não morri... depois de 120 mg diários de etoricoxibe em formato de maçã (ou Santo Arcoxia para os íntimos) estou bem até demais. Saí de casa, andei por ai, assisti aula da especialização chata em UTI que minha enfermeira pokemon tá fazendo...
E olhei o enorme buraco agora existente em minha arcada dentária.Jesus! horripilante, ainda mais vendo aquele fio de sutura horroroso...hehe
Minha alimentação está muito nutritiva:
café da manhã: sorvete
lanche: sorvete batido com iogurte (argh!)
almoço: sorvete
jantar: milkshake de morango (500 mL) + suco de laranja
nem quero saber onde isso vai parar (espero q nao em um spa)

Aproveitei esse bem-estar noturno e fui visitar um grande amigo meu. Pra falar a verdade, o primeiro amigo que fiz em São Luís,muito,muito querido.Ele é o cara mais sensato que eu conheço e um dos mais inteligentes tbm e não gosta dessa babação toda...O bom é que agora ele mora há 8 ruas da minha casa (e no bairro que eu moro isso é muito perto). Daí fui pra lá. Entre uma e outra partida de xadrez _ ele me massacrou :( _ ele conseguiu curar as dúvidas existenciais da minha TPM, meu medo de não passar na pós-graduação, as besteiras pré-25 anos. Todo esse processo como a maior palhaçada do mundo Viva!! :) meu amigo é tão Milagreiro quando o Arcoxia!

* Essa criatura supracitada, de nome estranho e detestável personalidade foi meu professor de Química Farmacêutica. Foram muitas noites insones, pesadelos e traumas. Sem falar nas notas!


Dias difíceis..TPM..inferno astral...
E pra piorar, todo meu mojo foi embora...Todo!Se estava ruim por causa do aparelho, agora sem 4 dentes tudo ficou muito pior.Estou horrorosa!
no mínimo 1 ano e meio pra poder sorrir de novo.1 ano e meio pra me olhar no espelho novamente. Meus dentes são enormes entao imagina o buraco que ficou.Pode ser só TPM, mas eu to mal pra caramba.
Esse dentista que me deixou banguela é uma graça: loiro, olhos verde, barriga de casado, gentil e alegroso (como disse Aline, ele parece a Xuxa..hehe E parece mesmo).Esse tipo de procedimento, creio eu, doi o q menos mudou na historia da odontologia...mesmo com todos os anestésicos que foram espetados em minha boca, o processo é brutal. Dá pra sentir o cara "trabalhando" em sua boca.O puxa-puxa... e quando ele foi suturar? nossa, agulhas de sutura me dão calafrios..Ultimamente tenho visto muitos cães e gatos serem suturados e todas as vezes me embrulha tudo. Argh Imagino há 500 anos, no meio de uma guerra..Alguem bate com força em seu rosto (uma maça ou com o cabo da espada ou sei la o que) alguns dos seus dentes quebram e daí, à noite, no acampamento, alguem ira fazê-lo sentir muita dor ao tentar tirar as raizes.
Eu estava morrendo de medo, pela dor, por ter que ficar sozinha depois... Tá que a Aline dormiu aqui e minha irmã chegou de madrugada.Só que eu pensei q ficaria sozinha até a Annie chegar. E isso me deixou um caco.Não ter ninguem... Detestei ter incomodado a ALine ( e eu estava meio chata, chorando pra caramba, minha boca não parava de sangrar e pensei q morreria de choque hipovolêmico durante o sono.) Só que mais que com medo dar dor, tive medo de não ter com quem contar caso acontecesse algo, pq eu nao teria coragem de incomodar ninguem.Fiquei chorando horrores no carro, com a respiração à la Darth Vader.
Da outra vez que precisei fazer um troço desses aconteceu ( um horroroso 3º molar precisou ir embora) meu irmão estava viajando de férias e voltou correndo e eu tinha um namorado bomzinho. Aline disse que eu queria era alguem pra me paparicar.Não é isso. Eles entediam minha linguagem ridicula de sinais ( eu fiquei uns 3 dias sem falar direito) , contavam historias,iam atras de mousse de maracujá pra mim (eu adoro e só tava tomando coisas geladas), faziam desenhos engraçados e tinham paciência, muito mesmo...Era engraçado vê-los tentando me distrair.
Hehe
Mas ontem foi até divertido :Ana, Aline e a Osga fazendo graça, enquanto eu só grunia...
Droga, quero chorar de novo...






sexta-feira, agosto 04, 2006

(Acordei com Poe martelando em minha cabeça...)
Erra uma vez (Paulo Leminski)

Nunca cometo
O mesmo erro
Duas Vezes

Já cometo duas
Três quatro cinco seis
Até esse erro aprender
Que só o erro tem vez

quarta-feira, agosto 02, 2006

The Monkey Song

Esse post é dedicado a minha irmãzinha linda (Olááááááá enfermeiraaaaaaaaaaa!). Qualquer semelhança entre o comportamento dela e da Dot Warner não é mera coicidência!
Cantem!!




"One Monday morning, I got up late
And there were these monkeys, outside ze gate
Ze guard went to stop them but he had no luck
The monkeys got free and they ran amok

I don't know what to say, the monkeys won't do
-Don't know what to say, the monkeys won't do
I don't know what to say, the monkeys won't do
-Don't know what to say, the monkeys won't do

My office was run by ze studio nurse
I came downstairs und what could be worse?
Ze monkeys was doing a crazy dance
They put buggies in my underpants

I don't know what to say, the monkeys won't do
-Don't know what to say, the monkeys won't do
Monkeys dance day and night and stew
-Don't know what to say, the monkeys won't do

I ran outside to get a stick
But I tell you friends, those monkeys was quick
'Cause when I returned, much to my disgrace
Those monkeys had the nurse in a mad embrace

Nurse:I don't know what to say, the monkeys won't do
Yako:For a nickel, I'll give you a clue
Dot:I didn't know your eyes were blue
I don't know what to say, the monkeys won't do

I went to me bath for a shower and shave
The monkeys gonna put me into my grave
The entire bathroom was laid to waste
And they shaved my head with minty toothpaste

I don't know what to say, the monkeys won't do
-Don't know what to say, the monkeys won't do
They is crazy nutso, I'm telling you
-Don't know what to say, the monkeys won't do

Well by zis time I was feeling dread
Zey was using a shoe brush to shine me head
I asked them to leave but they stayed around
Zey pulled the chain and ee! I went down

I don't know what to say, the monkeys won't do
-Don't know what to say, the monkeys won't do
Call my lawyer, I'm ready to sue
-Don't know what to say, the monkeys won't do

Well my patients ran out and I'm telling you sure
Tomorrow I show those monkeys the door
And if they don't leave, I'm inviting you
To my house for dumplings and monkey stew

I don't know what to say, the monkeys won't do
-Don't know what to say, the monkeys won't do
Now I'm in the stew, oh pooh!
-Don't know what to say, the monkeys won't do
Watch out for monkeys, I'm telling you
-Don't know what to say, the monkeys won't do

We're not monkeys, we're just cuckoo
Don't know what to say, the Warners won't do"

De Profundis


>:|
Para que servem os blogs?
Eu ja fiquei pensando seriamente sobre isso, há muito tempo atrás.
E sabem por quê?
Por que muita gente começa cheia de achismos a respeito do que você colocou no blog...
E elas erram...
Mas não adianta você saber que elas estão erradas e nem elas saberem disso, pois uma vez que elas pensem algo, dificilmente isso será tirado de suas fertéis cabeças.
Era isso!
Um grande amigo meu diz que mulher pensa demais. Exerga coisa onde não tem. E é mesmo! Lê até onde não tem nada escrito!
>:|
Se eu não puder colocar aqui o que me der na telha, pra que o blog serve então!?!
Pois meus blog não tem temática, não está à serviço da Literatura, poesia, senso prático, ong alguma de salvação de baleias, proteção das florestas ou sei lá o que...
aghh!

terça-feira, agosto 01, 2006


Espero, amiga, que vc tenha ficado satisfeita.


domingo, julho 30, 2006

Ana e o mar...



"Veio de manha molhar os pés na primeira onda
Abriu os braços devagar... e se entregou ao vento
O sol veio avisar... que de noite ele seria a lua,
Pra poder iluminar... Ana, o céu e o mar

Sol e vento, dia de casamento
Vento e sol, luz apagada num farol
Sol e chuva, casamento de viúva
Chuva e sol, casamento de espanhol

Ana aproveitava os carinhos do mundo
Os quatro elementos de tudo
Deitada diante do mar
Que apaixonado entregava as conchas mais belas
Tesouros de barcos e velas
Que o tempo não deixou voltar

Onde já se viu o mar apaixonado por uma menina?
Quem já conseguiu dominar o amor?
Por que é que o mar não se apaixona por uma lagoa
Porque a gente nunca sabe de quem vai gostar

Ana e o mar... mar e Ana
Historias que nos contam na cama
Antes da gente dormir

Ana e o mar... mar e ana
Todo sopro que apaga uma chama
Reacende o que for pra ficar

Quando Ana entra n'água
O sorriso do mar drugada
se estende pro resto do mundo
abençoando ondas cada vez mais altas
barcos com suas rotas e as conchas que vem avisar
desse novo amor... Ana e o mar"
Fernando Anitelli


à Ana, por seu blog...(jajá ele estará linkado aqui!!)
menina, ainda bem q vc voltou d BSB...
e estou muito :) pelas atuais notícias de pós-graduação!

Sala de aula II

" a característica principal dessa doença é que a célula vai de mal a pior"

em um seminário


assim não sei mesmo onde iremos parar...

sexta-feira, julho 28, 2006

O Mundo Anda Tão Complicado

Gosto de ver você dormir
Que nem criança com a boca aberta
O telefone chega sexta-feira
Aperto o passo por causa da garoa
Me empresta um par de meias
A gente chega na sessão das dez
Hoje eu acordo ao meio-dia
Amanhã é a sua vez

Vem cá, meu bem, que é bom lhe ver
O mundo anda tão complicado
Que hoje eu quero fazer tudo por você.

Temos que consertar o despertador
E separar todas as ferramentas
Que a mudança grande chegou
Com o fogão e a geladeira e a televisão
Não precisamos dormir no chão
Até que é bom, mas a cama chegou na terça
E na quinta chegou o som
Sempre faço mil coisas ao mesmo tempo
E até que é fácil acostumar-se com meu jeito
Agora que temos nossa casa é a chave que sempre esqueço
Vamos chamar nossos amigos
A gente faz uma feijoada
Esquece um pouco do trabalho
E fica de bate-papo
Temos a semana inteira pela frente
Você me conta como foi seu dia
E a gente diz um p'ro outro:
- Estou com sono, vamos dormir!

Vem cá, meu bem, que é bom lhe ver
O mundo anda tão complicado
Que hoje eu quero fazer tudo por você
Quero ouvir uma canção de amor
Que fale da minha situação
De quem deixou a segurança de seu mundo
Por amor

Legião Urbana

quarta-feira, julho 26, 2006

Sala de aula I

hehe
coisas estranhas e engraçadas acontecem em sala de aula
olhem essas pérolas

"Mulher é que nem célula-tronco : Onde dá, ela 'tá se reproduzindo..."
(pois é, nem sempre é fácil- explicar de maneira séria- a dinâmica da diferenciação celular e suas aplicações ...)

"É isso mesmo...Quem morre é quem perde a vida..."
(aluno, compenetrado, comentando sobre um crime recém-desvendado na cidade...)

Eu tento...

Conversei muito com Leo Frasson semana passada sobre impermanênia e sobre nossa insignificância como ser humano. Nós simplesmente não existimos. Nosso tempo aqui é tão pouco em relação ao Universos, galáxias, estrelas que é como se estivéssemos aqui.E perdemos tanto tempo -tempo que não temos- com tolices que não levarão a nada.
Estou triste. E por besteira. E por que fiz o que não era pra ser feito e eu me iludi com coisas que nem me foram ditas. Tenho tanto a crescer , tanto a descobrir, a melhorar, a evoluir e estou aqui chorando, boba, boba, por coisas que não me dizem respeito, lamentando a felicidade alheia. Achando que serei infeliz simplesmente por que levei um fora (3 x, da mesma pessoa, que sei que não vai dar em nada e estou há 10 meses - um pouquitito a mais, me envolvendo com quem não está envolvido comigo, ou seja fantasiando, fugindo da realidade), pq estou usando aparelho nos dentes (e acho feio), não tenho quem me adore e me diga todas as manhãs " nossa, como vc é bonita" ou " vc está mais magra hj..." ou mesmo pq não estou mais magra e não gosto do meu cabelo ou do jeito que estou.haha Daí eu penso "como eu, tanto mais que essa casca estúpida que me envolve, teimo em me importar com tamanha futilidades."
E tento apagar o que não serve, rascunho, borrão inútil de um poema nem escrito.
E tento...
E tento...
E tento...
E tento...
E tento...
E tento...
E tento...
E tento...
E tento...
E tento...
E tento...
E tento...
E tento...
E tento...

segunda-feira, julho 24, 2006

Codó

...
Ainda não vi o Bita do Barão. :(
descobri que "ele" atende de graça às quartas-feiras ( os outros professores estavam falando...)Quarta é dia oficial do de graça, do mais barato? hum ...até nisso?
A cidade é maior do que eu imaginava, bonita tbm... Muitas praças fofinhas...
Tem ruínas de uma antiga fábrica de tecidos...fofas, fofas...Eu to doida pra ir lá.
Tinha pagodeiros de um tal de Raça Negra no mesmo hotel q eu ... ( e tietes...argh!)
Sai sozinha ontem à noite e lembrei do pai do Hans-Thomas dizendo q aquilo q aconteceu com a Lois Lane no Superman o retorno, aconteceria comigo pq eu me meto em confusão ( eu disse:mas nao entraria num barco desconhecido de onde veio um apagão com meu filho e ele disse claro q sim, se vc nao tivesse filho ia atras de uma criança na rua...hahahaha ele tava certo...)
Os outros professores são legais.
Aqui é quenteeeeeeeeeeeeee.
minha turma é enormeeeeeeeeeeee (45 alunos essa tarde).
Descobri que sei ser paciente quando precisa.
Eu tremi um pouco essa manhã...minha primeira manhã de aula... Mas foi tudo bem. E dizem q eu nao tenho cara de professora :P
Descobri que os que sentem realmente saudades me mandam e-mails.
Descobri que o mundo é minha casa.Realmente acho que nunca ficarei chorando pela minha casa.
É estranho todos me chamarem de professora. Acho que estou com uma cara respeitável...
Meu celular funciona!!!!!!!obaaaaaaaaaaaaa!
Dessa

quarta-feira, julho 19, 2006

The Scientist





The Scientist
Coldplay


Come up to meet you, Tell you I'm sorry
You don't know how lovely you are
I had to find you, Tell you I need you
And tell you I set you apart
Tell me your secrets, And ask me your questions
Oh let's go back to the start

Running in circles, Coming up tails
Heads on a silence apart

Nobody said it was easy
It's such a shame for us to part
Nobody said it was easy
No one ever said it would be this hard
Oh take me back to the start

I was just guessing at numbers and figures
Pulling the puzzles apart
Questions of science, science and progress
Do not speak as loud as my heart
And tell me you love me, Come back and haunt me
Oh and I rush to the start

Running in circles, Chasing tails
Coming back as we are

Nobody said it was easy
Oh it's such a shame for us to part
Nobody said it was easy
No one ever said it would be so hard
I'm going back to the start

Beija-Flor

Todas as vezes que sento (preguiçosa...) naquela acolhedora rede estrategicamente colocada na varanda da casa da Dani, vejo um beijar-flor. Ás vezes dois. Esse pequenos deuses não mais adorados, a quem outrora sacrificamos outros de nós rompem o trânsito, voam por cima do muro e cá estão a namorar as flores. Intrépidos desbravadores (seriam eles sementes do grande Colibri Azul??). Pequenos mares de coragem. Acho que sentem o carinho da Tia Eliana e sempre voltam.


Codinome Beija-Flor (Cazuza, Reinaldo Arias e Ezequiel Neves)

Pra que mentir
Fingir que perdoou
Tentar ficar amigos sem rancor
A emoção acabou
Que coincidência é o amor
A nossa música nunca mais tocou...

Pra que usar de tanta educação
Pra destilar terceiras intenções
Desperdiçando o meu mel
Devagarzinho, flor em flor
Entre os meus inimigos, beija-flor

Eu protegi o teu nome por amor
Em um codinome, Beija-flor
Não responda nunca, meu amor
Pra qualquer um na rua, Beija-flor

Que só eu que podia
Dentro da tua orelha fria
Dizer segredos de liquidificador

Você sonhava acordada
Um jeito de não sentir dor
Prendia o choro e aguava o bom do amor
Prendia o choro e aguava o bom do amor


...

"Falar é completamente fácil quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião.
Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.
Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias.
Difícil é encontrar e refletir sobre os seus erros, ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado.
Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir.
Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso.
E com confiança no que diz.
Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação.
Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer.
Ou ter coragem pra fazer.
Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado.
Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece, te respeita e te entende.
E é assim que perdemos pessoas especiais. Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.
Difícil é mentir para o nosso coração.
Fácil é ver o que queremos enxergar.
Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto.
Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.
Fácil é dizer "oi" ou "como vai?" Difícil é dizer "adeus".
Principalmente quando somos culpados pela partida de alguém de nossas vidas...
Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.
Difícil é sentir a energia que é transmitida.
Aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa. Fácil é querer ser amado.
Difícil é amar completamente só.
Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois.
Amar e se entregar.
E aprender a dar valor somente a quem te ama.
Fácil é ouvir a música que toca.
Difícil é ouvir a sua consciência.
Acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.
Fácil é ditar regras.
Difícil é seguí-las.
Ter a noção exata de nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.
Fácil é perguntar o que deseja saber.
Difícil é estar preparado para escutar esta resposta.
Ou querer entender a resposta.
Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.
Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.
Fácil é dar um beijo.
Difícil é entregar a alma.
Sinceramente, por inteiro.
Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.
Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro. Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica.
Difícil é ocupar o coração de alguém.
Saber que se é realmente amado.
Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho.
Eterno é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata. "

Texto atribuido a Carlos Drummond de Andrade
( do perfil do orkut de uma amiga muito amada e com a qual tenho sido bem negligente...)

terça-feira, julho 18, 2006

segunda-feira, julho 17, 2006

Não faz mal acalentar seus sonhos...


No início do ano, alguns amigos ( uns nem tão amigos assim...) decidimos colocar metas no papel, planejar explicitamente o que queríamos de 2006. Achei as "minhas metas" essa manhã. Bem, não fiz nada delas, nadinha mesmo. Não passei no mestrado da Fiocruz, não tomei minhas sérias resoluções ou cumpri meus próprios prazos, não li o que disse que leria...Eu fui para um lado e elas, ou ficaram bem atrás, ou volveram correndo pra direção oposta. Mas, meu Deus, estou bem melhor assim (bem, só os artigos da monografia que realmente deveriam ter saído..oh, vagabundagem... )

Eu sonhei, eu quis. Foram coisas extraordinárias, acontecendo, acontecendo... Bastou vivê-las aos pouquinhos. De concreto, ainda não tenho nada, mas nunca estive tão satisfeita e vendo tudo caminhar para o que mais quero. Num mundo onde se escuta tantas reclamações, sinceramente, eu não teria nada que justificasse isso. Não que esteja vivendo o paraíso, com dinheiro à rodo, amor eterno e amplas realizações profissionais ( amor e dinheiro estão bem looonge...), mas hoje acordei pensando como realmente estão as coisas para mim. E tudo parece bem palpável. Aquilo que fiquei imaginando que seria, simplesmente está às portas.

E não caiu assim, no colo. Precisou de coragem, erros, de um pouco de irracionalidade até, de agir contra a ordem natural das coisas... A maior prova é que agora em agosto eu estarei formada há um ano e nunca entrei em uma farmácia ou afins para trabalhar. E parei de contar as pessoas que me chamam de doida, que pesquisadores e professores universitários "passam fome". Ainda bem que não quero ficar rica e sim ser feliz. Há tanto mais que dinheiro e não conseguirei ser responsável por algo de que não goste. Posso dizer que todo o dinheiro que ganhei na vida foi originado de pesquisa, de atividades universitárias. E assim quero. E no fundo só pretendo ser farmacêutica para causas filantrópicas ou algo assim... Meu pai ja perguntou bilhares de vezes para que fiz esse curso então. Eu gosto, muito, muito, muito. Mas há coisas que gosto mais.

Nesses dias, só espero respostas. Talvez boas, mas mesmo com as más aprenderei o suficiente para tentar de novo. Isso por que ainda não dou tudo o que posso, não sou tudo o que posso. Mas um dia, serei completa nisso também.