Páginas

em inconstante definição.

terça-feira, março 27, 2007

De cartas, letras e favores

Adoro caixas de correio. Estanho? Não sei - talvez porque perdi meu há muito o meu conceito do que estranho. Há uma dessas na esquina em frente à minha rua. Acho charmoso jogar despreocupadamente envelopes por aquela frestinha...
Essa manhã, eu tinha quilos de coisas para colocar ali. E nem eram cartas para amigos distantes. Infelizes correspondências bancárias, isso sim! Dessas que vão para a casa errada, onde as criaturas destinatárias nunca residiram! Pelo menos nunca nos ultimos seis anos...
Por esses tempos, culpa da internet e torpedos, ninguém mais escreve cartas.Dá saudades dos envelopes coloridos e de tentar advinhar o estado de espírito das pessoas pelas variações nas letras...Gosto de saber da letra de meus amigos. É como se soubesse de um traço da personalidade, um desses ocultos.

Sempre quis saber-lher a letra, conhecer-lhe o traço, os percalços, preâmbulos - sempre quis saber-lhe o todo, o tudo. Das brincadeiras on-line aos desmedidos sonhos, a curiosidade não me abandonou. Mesmo agora. Mesmo assim.
Tarde cinza, nuvem negra [Vai um raiozinho de sol aí?]. Poderia dizer-lhe que estava lindo? melhor não. Nem diferença
faz. faz?
Tinta preta. Belos traços. Firmes. Letra resoluta, inclinando-se pra vida no papel.

lá lá lá lá

E nem vi se nossas mão se tocaram...

7 comentários:

Suhelen Aragão disse...

faz tempo que não recebo cartas... a última que eu lembro de ter enviado foi em novembro... faz um tempinho também...

e quando eu tava longe, só recebi uma cartinha tua. em compensação, tu vive me fazendo bilhetinhos criativos e carinhosos

^^

as assintauras...
bjos, moça!

andréa disse...

*-*

também sempre gostei.

tem uma no bom preço perto de casa.

são lindas, amarelas.

parece que há algo mágico nelas.

uma vez eu quis esperar para ver quem vinha esvaziá-las, é claro que nunca aconteceu.

talvez seja como o papai noel, que só vem quando dormimos, aí o carteiro só vem quando não estamos lá pra ver.


que boa lembrança;

=***

Arklich disse...

Sabado eu te levo um envelope colorido pra você não ficar triste...
=D

Arklich disse...

Agora falando serio... é engraçado como as coisas vão ficando cada vez mais "práticas", ninguem quer mais ficar perdendo seu valoroso tempo fazendo isso. É muito mais comodo achar alguma imagem para datas comemorativas e transforma-la em seu computador e mandar pro e-mail parar todos de sua lista amigos ou não, e as vezes a pessoa nem tem o minimo cuidado de olhar o que você fez de boa vontade (ou as vezes não passa de mera formalidade)... Não há a mesma troca de sentimentos que antes havia entre as pesoas tudo anda num ritimo frenetico em que ficar esperando por alguns dias a resposta é inviável. Garanto que existem pessoas que se forem colocada a fernte de um bloco de notas e uma caneta não vai conseguir uma linha inteligivel, afinal apertar as teclinhas do teclado é bem mais divertido e no bloco não tem a função de apagar as letras erradas...
As vezes bate um saudosismo, afinal me lembro de como era divertido saber que havia uma carta para você e a ansiedade de saber o seu conteudo...
Acho que to velho mesmo... fiz quase um monologo sobre isso... melhor parar por aqui..

yara b . disse...

eu ainda escrevo cartas. caneta tinteiro e papel colorido.

eu ainda recebo cartas. purpurinas e fotografias.

a combinação de azul anil e amarelo canário é bonita naqueles moços com as bolsas pesadas.

25 anos e contando... disse...

ai ai...

...

tássia disse...

Eu nunca mais recebi uma carta...Bem que a gente podia começar a se corresponder...O que acha?
As meninas do desenho...
^^