Páginas

em inconstante definição.

domingo, janeiro 11, 2009

espera ou algo de tolo enquanto seguem as horas.

Fui ao UNICEUMA acompanhar mais uma pobre vítima. Vestibular. Enfermagem. Levei "Coisas Frágeis. Reler O Monarca do Vale. Fiquei com saudades. Talvez o Mauro tenha razão e realmente eu seja apaixonada pelo Shadow.
______________________________________________________________
Aconteceu  o inevitável. Chuva e ruas lamacentas me fizeram sair de salto. É incrível o frisson que um pedaço de pano a menos e uns centímetros a mais podem causar. Se bem que o que eu quero são botas de alpinista. Moto e tornozelo exposto não são as melhores combinações e tenho que pensar em tudo isso antes de me dirigir a uma concessionária.
______________________________________________________________
A vida é uma pilhéria. Eu vivo reclamando dos que fazem e cá estou eu fazendo. Sei que ao crime, o castigo. Mas não quero (quem quer?). Agora que Inês é morta, perguntar o que se fez no verão passado não adianta. 
______________________________________________________________
Vi duas enormes e toscas imitações de O Pensador. Céus, eu adoro Rodin (tudo bem, mais que a  ele eu adoro a  Camille Claudel). Me choca a deformação. É notório que eu detesto cantadas mas a melhor dela e única que deu certo, foi de alguém que me olhou além do óbvio -e das roupas- e disse que eu parecia uma escultura de Rodin. Foi certeira. É, na época eu até merecia. Sim, mas voltando aos aleijões que tentam imitar a arte, meus olhos marejaram de indignação ante as esculturas. Seria isso uma tentativa - quiçá frustrada - de algo subliminar? Pensem, pensem pensem... Ou algo mais zumbi cérebro, cérebro, cérebro. Dado o lugar onde estão, eu dialogo com meus pobres botões sobre as estatísticas (inferência baeysiana, talvez seja o mais indicado) e se o percentual de entendimento/aceitação foi satisfatório.
______________________________________________________________
Eu não queria ser tão complicada. Juro que nao queria. E nem me acho. Por esses dias, me descreveram como portadora de um transtorno de múltiplas personalidade, com muito in: insegura, inconstante, infantil. Eu mereço.

6 comentários:

Arklich disse...

hum... acredito que sim... criatura semi-masculina (lol)

Verbena disse...

ok...esqueci de comentar que o mesmo que diagnosticou esse transtorno estranho (exercício ilegal de profissão é crime) ainda me acha quase um menino...mas tudo bem! isso é fruto de uma má sucedida mudança de sexo. :P

Arklich disse...

sem comentarios...
hahahahahahaha

Suhelen disse...

indispensável, inesquecível, inacreditável...

inspiradora.

gosto mais destes in's ao se referir a sua pessoa ^^

são mais adequados.

25 anos e contando... disse...

Saudade da Malvandressa... devo discordar. Ela não perece um menino. Alguns traços de sua personalidade são tão femininos quanto a barbie noiva em seu carro cor-de-rosa conversível

aleatorio disse...

Bla! se fosse simples não teria graça, desvendar é o melhor exercício pra qualquer ser humano provido do aparato pensativo e um pouquinho de incoerência facilita para entendermos tudo de uma vez só! Mas va lá eu sou só um maniaco compulsivo por desafios e resolução de problemas !!! Fico feliz em saber que alguem não tem medo de ser complicada e quase tão dada a extremos ( pelo menos intelectuais como eu !)