Páginas

em inconstante definição.

domingo, fevereiro 11, 2007

Sim, e dai? (parte 2)

“ela: acho q é teu espírito de gorda nerd estudante de pós q não quer sair de casa... ele q tá aumentando esse teu percentual
Eu: =P
Ela: é sim! tu tá cada dia mais velha e chata,fazendo programas de nerd,ficando trancafiada em casa.e não conhecendo pessoas novas
Eu:
Ela: e se conhece, são pessoas mais nerds e mais trancafiadas q tu ou seja, não fazem a menor diferença pra tua vida social ”

(...)

Ela: Tabelinha??hehehehe ó lá, q q tu andou fazendo?
Eu: tabelinha não.Tabelas pro Epinfo.
Ela: foi algum dos nerds sem vida social q vivem enclausurados hein? Hein?
Eu: estou tabulando dados pro Epinfo.
Ela: meu Deus! Foi no aniversário de (nome omitido)!!!
Eu: E ele me chamou pra ir lá. E eu não fui
Ela:hehehehe
Eu: e ele já foi embora. Ele tava muito saidinho pro meu lado. Dai não fui.
Ela: hehehe
Eu: ele disse q ia ser algo pra família
Ela: ele tá sempre saidinho pro teu lado menina
Eu: mas ele queria q eu fosse. Disse algo assim. Dai eu não ia. Ele ia chamar poucos amigos e eu ia sem conhecer ninguém... ai ai
Ela: olhai c devia ter ido, sua velha!Podia ter conhecido algum nerd menos feio “

06 de fevereiro de 2006




Sim, que raios é “vida social”? E como é que meus amigos não fazem a menor diferença para minha vida social? São meus amigos, porra!
Eu não gosto de boate e afins. Todo mundo sabe disso. Locais onde pessoas ficam se acotovelando, todo mundo encostando-se em todo mundo.
Ficar em casa é bom. Eu gosto, até por que adoro ler. E eu tô fazendo doutorado. Tenho que estudar, isso é óbvio. E sem querer parecer metida, tenho que estudar muito mais que todos os meus amigos. Há mais cobranças, o nível é diferente. Não dá pra ficar saindo por aí todas as noites, todo fim de semana. E não vou morrer por isso não.
E ainda preciso dormir mais. Há muito para ler e eu não posso atrasar-me, quer nas disciplinas, quer nos experimentos.
Eu não sou nerd, não tenho nada contra, não faz a menor diferença se alguém é ou não é nerd. Opção sua, querido (e vale a mesma coisa pra emo, poser, paty, metaleiro, roqueiro ou sei lá o que). Pode até ir dançar pelado no meio da rua grande com uma melancia no pescoço. Não me faz diferença.
E por que eu tenho que ficar amargurada com a vida se eu ficar sozinha? Pessoas mal-resolvidas pensam assim e isso eu não sou. Não fui criada para casar, meus pais nunca disseram “ah, “quando a Andressa casar” ou ” o casamento dela vai ser assim”, “o marido dela vai ser assado”. Nada disso, nunca houve incentivo algum.Isso nunca existiu para Annie ou para mim e sim a idéias que caras vêm e vão... Definitivamente meus pais ensinaram-me independência emocional também!


5 comentários:

sukitolina disse...

vida social é difícil mesmo...
mas eu até gosto qdo tu fica me ksa direto
^^

e é massa sair contigo!
e dane-se o resto!

ame-te ou deixe-te!!!

[por isso q eu te encho muitão, percebeu? ngm mandou eu gostar de ti!]

bjos, moça bunita demaaaaaaaais!!!

=***

[p.s.: danadieeeeeeeeenha]

^^

yara b . disse...

campanha "a minha melhor companhia sou eu".

^^

Andréa disse...

Cara,tu faz é doutorado? =O Nãosabia!!!

Mas procure sair comigo, huauaha, e brigadeiro sempre é bom.

bjooo.


e aquela pessoinha? rsres

Augustus disse...

Você precisa de um psicanalista! huhuahauhauhauahua! Abraços!!

Verbena disse...

todos nós...